Sobre Nós...

A TIM investe em inovação e na qualidade da sua rede, serviços e do seu atendimento, com foco na missão de conectar e cuidar de cada cliente para que todos possam fazer mais.

Commodity

Os dados são a nova Commodity do Telecom

Quando pensamos em Commodity, normalmente vem à mente produtos em estado bruto, como o petróleo, a soja ou o carvão. Entretanto quando escutamos que os dados são a nova commodity, isso pode soar um pouco diferente e até mesmo estranho ao que estamos habituados.

Desde as grandes navegações, as commodities são essenciais na cadeia de produção do sistema econômico, pois elas representam a base da riqueza produzida no alto da cadeia econômica.

Os dados são uma matéria prima que possuem um papel semelhante para a entrega de riquezas. Hoje, as novas tecnologias entregam informações que são fatores de vantagem competitiva para as empresas, como o Big Data e a inteligência artificial, por exemplo.

Nesse texto você vai entender um pouco mais sobre esse assunto.

Leia também: https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5&q=dados+telecom&btnG=#d=gs_qabs&u=%23p%3DmkCBDdI_axAJ 

Fonte: https://www.twsolutions.com.br/5-tendencias-do-mercado-de-telecom-que-voce-deve-conhecer-hoje/

Produção

Todos os dias, literalmente, bilhões de dispositivos produzem dados e informações que serão consumidas por diversos meios eletrônicos. Eles podem ser consumidos por vários tipos de clientes, como bancos, lojas e até mesmo o governo.

Diferente do petróleo, por exemplo, que possui um processo de separação e refinamento dos componentes, extremamente caro. Os dados são facilmente separados, através dos novos bancos de dados NoSQL e refinados em sistemas de Big Data.

Os dados, hoje em dia, são tão valiosos quanto qualquer tipo de commodity, mesmo aquelas que vieram a sua mente nesse momento. Alguns especialistas dizem que a relevância dos dados para a economia é algo tido como um fato irremediável.

Conheça os planos TIM controle e encontre o melhor para você falar, usar Whatsapp e mídias sociais.

Vale lembrar que ao acessar a rede mundial de computadores, a internet, centenas de informações são capturadas, como o comportamento de compra, pesquisas efetuadas, sites mais acessados e muitos outros.

Note que se você pesquisar uma bota de couro no Google, ao abrir o aplicativo Instagram, perceberá propagandas da sua bota pesquisada e/ou similares. Saiba que isso não é mágica da rede social. Parece inocente! Mas o que ocorreu foi apenas a venda dos dados da sua pesquisa.

 Saiba mais sobre o tema: https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5&q=dados+telecom&btnG=#d=gs_qabs&u=%23p%3DdRmNbEdU-FIJ

Utilização da matéria prima

Os dados coletados podem ser de cunho estatístico, ou seja, dados brutos e não identificados, ou dados pessoais, isto é, informações de um indivíduo e metadados associados que trazem informação sobre ele.

Ambos possuem a sua importância para as novas tecnologias, mas iremos mostrar a diferença de cada um deles, acompanhe na sequência.

Os dados estatísticos são normalmente coletados por empresas de pesquisa, com o intuito estatístico. Entretanto, mesmo dessa forma, essa matéria prima pode ser usada nos negócios com o objetivo de aumentar os lucros ou auxiliar a tomada de decisões.

Por exemplo, se vou abrir uma loja de sorvete em uma rua, mas recebo a informação que ali a população de crianças é quase zero, a probabilidade de redução dos meus lucros é grande.

Da mesma forma, se a população de idosos é muito grande, ao abrir uma farmácia, a chance de aceitação é muito boa, pois a loja converge com o ambiente onde será instalada.

Já os dados pessoais, normalmente, são utilizados com o objetivo de atingir o indivíduo. Atingir no bom sentido, seja com uma boa promoção na qual ele tem boa probabilidade de aderir, seja também para um cupom de desconto no mês de aniversário.

Os dados pessoais podem ser coletados de diversas formas, por empresas em diversas situações. Até mesmo o fato de apresentar o documento ao acessar um condomínio empresarial, pode haver a captura dos seus dados pessoais. Mas isso é um exemplo, cuidado para não ficar paranoico!

Fonte: https://suntech.com.br/artigos/entenda-importancia-solucoes-alta-tecnologia-telecom/

Dados e o Telecom

Exatamente como se imagina, a abundância dos dados é algo comum na área de Telecom. Isso faz com que, obrigatoriamente, a Telecom já tenha saído na frente das demais áreas, quando o assunto são os dados.

Como os próprios CEO’s das maiores companhias de Telecom do Brasil dizem, os dados são o novo petróleo. A quantidade de dados que gera uma empresa de Telecom é absurda. Se não for tratado com Big Data e aprendizado de máquina, as empresas ficarão ultrapassadas rapidamente em relação aos concorrentes.

E mais, o aumento desses dados é algo assustador. O crescimento médio mundial é de 48%, já na América latina esse percentual é de 59%. Está previsto para movimento em 2020, cerca de 44 trilhões de gigabytes ou 44 zettabytes.

Se toda essa informação pudesse ser colocada em livros e empilhada, iríamos e voltaríamos do Planeta Netuno cerca de 65 vezes.

A área de Telecom, já a frente dessa onda do império dos dados, disponibilizou há pouco tempo a fibra óptica, para melhorar a velocidade de navegação e adequação às novas necessidades.

Também não podemos esquecer-nos do novo desafio, o 5G, que será revolucionário para o público mobile e a nova ordem dos dados.

 Leia também: https://scholar.google.com.br/scholar?start=10&q=dados+telecom&hl=pt-BR&as_sdt=0,5#d=gs_qabs&u=%23p%3DQ_RCbEGt_IQJ

Nesse artigo você conheceu um pouco mais sobre os dados e a sua importância, bem como são “produzidos” e como são consumidos. Você também conheceu um pouco mais sobre a sua importância na área de negócios e na área de Telecom.

O que achou sobre essa tempestade de dados e a sua relação com a telecomunicação? Deixe o seu comentário aqui embaixo. Compartilhe conosco a sua opinião.